XC - Como ir longe... e mais longe.

Entendendo e usando o dia térmico mais e melhor.


Qualquer oportunidade, ou momento de pausa, é bom transformar o ócio em tempo de treinar a mente e ir planejando a temporada. Gostaria de dar mais uma pequena contribuição. Vamos refletir e treinar!

A primeira reflexão que convido todos a fazerem é: Quem vai levar você mais longe nesta temporada? Sua técnica e decisões ou seu parapente e eletrônicos?




A segunda reflexão é: Você vai superar sua marca em sua região tradicional de voo ou vai ter que ir a Quixadá, Patu ou Tacima para superar seus 100km?




Bem, então, se você é daqueles que vai querer se superar com seus equipamentos padrões, que lhe permitem voar em segurança e com diversão, e que vai tentar fazê-lo sem se expor a voar em condições extremas, escrevo este texto mais voltado para você. Ai vão algumas dicas: Voar XC é uma questão objetiva de colocar o máximo de distância entre seu ponto de decolagem e o ponto de pouso. De uma forma mais, digamos, lúdica, seria também aproveitar tudo isto e explorar a viagem e fazer travessias únicas, com uma vista singular e privilegiada. Decolar de um ponto e rumar para outro desejado usando como meio de transporte o parapente e como combustível as térmicas. Uma viagem totalmente natural e desafiadora e que, como tal, exigem uma certa dose de planejamento, seja para voar de um ponto A a um B conhecido ou de um ponto A a um B o mais longe possível.

Vamos começar lembrando que a distância a ser coberta, quando conhecida, precisa de um tempo de X horas voando a Y km/h.

Falando então sobre voar XC, sabendo que nosso combustível são as térmicas, precisamos aprimorar nossa análise e entendimento do dia térmico. O dia térmico, produtivo para o voo, na maior parte do Brasil, se inicia por volta das 10h e se encerra por volta das 17h30. Para evitar pousos prematuros, recomendo que a maioria comece a se aventurar buscando decolar por volta das 11h. Pratique bastante para depois se aventurar um pouco mais cedo. Mas, avaliando o gráfico acima, o importante é lembrar que, QUANTO MAIS CEDO SE DECOLA, MAIS HORAS TENHO PARA VOAR. Então, vamos avaliar o seguinte: Qual a minha velocidade média padrão em voos de XC em minha região? Abram seus tracklogs e avaliem. Você consegue voar em média a 25km/h? Então, pense qual marca você deseja alcançar. Seja para superar seu recorde pessoal ou fazer aquela travessia e pousar na cidade tal. Se estamos falando de 130km, basta dividir por 25 e ver quanto tempo de voo você vai precisar para cumprir seu desafio: 5h12. Sabendo deste tempo, avalie no gráfico acima qual horário você deveria decolar para conseguir voar um pouco mais de 5h. Observe que seria por volta de 12h. Ou seja, você teria que decolar meio dia e pousar por volta de 17h12.

Para complementar suas reflexões quanto a este planejamento, avalie o gráfico acima. Perceba que o dia parte para a instabilidade de maneira mais agressiva do que retorna à estabilidade ao final do dia.

Junto com esta análise, lembre-se que: No início do dia: 1o - Encontro mais térmicas, apesar de sem um padrão definido ainda; 2o - O teto é mais baixo e demoro mais a entender o padrão térmico; 3o - A evolução no voo é mais lenta; 4o - Os intervalos entre os ciclos são indefinidos; 5o - Entre 12h e 13h haverá uma pausa, uma respirada, na condição e não devo estar baixo; Na parte da tarde: 1o - A condição fica mais previsível; 2o - As térmicas possuem intensidade média maior e por mais tempo; 3o - O teto (altura da base das nuvens) sobe consideravelmente; 4o - As transições ficam mais longas na parte final do dia; 5o - Os intervalos entre os ciclos aumentam na parte final do dia; Na parte final do dia: 1o - Qualquer térmica pode ser a última; 2o - O melhor lugar para largar a última térmica é no topo; 3o - Quanto mais encaixado no vento, melhor o rendimento em relação ao solo (+distância); Sugestão para treino: Pegue o mapa e estude-o bem. Crie uma primeira meta clara e objetiva. Se você quer os 100km, não pense numa rota de 200km para tentar fazer qualquer coisa acima de 100km. Sério, planeje um voo de 100km. Claro que, chegando lá alto, vá embora e busque o máximo possível. Nada de pousar ao chegar ao 100km. Claro que o ideal é ter em mente o que fazer e para onde ir ao chegar aos 100km, mas este passo é secundário. Muita gente cai na trave por conta de pensar o próximo antes do atual. Bem, avaliada a rota do seu desafio (no caso aqui 100km), lembre-se que é possível fazê-lo em 5h de voo com média de 20km por hora. É uma média muito baixa, mas ideal e suficiente para o desafio dos 100km. Sabendo que piloto de XC sempre chega cedo à rampa, não mais que 10h da manhã na maior parte do Brasil, avalie a condição e tente encaixar seu voo na melhor janela do dia. O ideal é decolar por volta das 12h, lidar bem com a respirada da condição, ou seja, começar o voo ficando alto o tempo todo até após as 13h, e depois começar a voar mais focado no objetivo. O objetivo principal é se manter em voo por 5h (O OBJETIVO PRINCIPAL É SE MANTER EM VOO POR 5H). Voe... divirta-se. Para voar uma média de 20km/h, você não precisa ficar baixo hora nenhuma. Pode parar em quase tudo que fizer seu vário apitar. Mas, FIQUE VOANDO ATÉ O FINAL DO DIA.

Ao invés de ficar baixo, tente navegar de maneira objetiva a sua rota. Evite desvios desnecessários, não fique em dúvida após tomar decisões e relaxe, observe a condição o tempo todo, busque referencias sólidas e foco na missão. Experimente! Tenho certeza que seus horizontes irão se expandir muito além dos kms que seu GPS irá registrar. Bons e longos voo!!!


CB

XC Selva.png

Aqui no site

Compartilho novidades, informações e minhas aventuras pelo mundo do PARAPENTE.

FAÇA PARTE!

  • Twitter
  • Facebook ícone social
  • Instagram

© 2020 by goXCb

Criado por atletadeaventura

|

WANDERLEI G. S. JÚNIOR

006.906.286-25

VILA VELHA-ES - BRA

|

|