Pilotagem pelo Tirante C

A evolução dos tirantes para uma pilotagem mais harmoniosa


Apesar de a pilotagem pelo tirante C se tratar de uma técnica um tanto já estabelecida no meio do voo de parapente, muitas fábricas ainda não entregam uma suspensão com um design realmente efetivo para este tipo de pilotagem e algumas marcas recomendam que esta pilotagem não seja utilizada em alguns de seus modelos de parapente.

Na imagem ao lado vemos uma suspensão com 3 tirantes (A, A¹, B e C) tradicional, na qual podemos observar que o tirante C é independente do B no quesito atuação, estando atado a este somente na parte inferior da suspensão.

Neste formato de suspensão, a pilotagem pelo tirante C é possível, mas menos efetiva e harmoniosa que num tirante projetado para este tipo de pilotagem.

Neste tipo de suspensão, devido à distância entre as galerias de linhas B e C, uma atuação mais intensa no tirante C leva a uma grande deformação do aerofólio e pode, em casos extremos, levar a uma parachutagem ou até um estol. Alguns parapente com 3 tirantes possuem 4 galerias de linhas, com o tirante C tendo uma conexão piramidal com o velame e suspenso pelas galerias C e D. Nestes casos a pilotagem pelo tirante C é um pouco mais efetiva e provoca menor deformação no aerofólio.

A imagem ao lado demonstra uma ideia criativa do fabricante Swing com uma suspensão de 4 tirantes. Eles criaram uma ponte entre o tirante C e D e o piloto podia corrigir rumos e até atuar um pouco mais na pilotagem de forma mais harmoniosa que usando os freios.


É preciso lembrar que a pilotagem pelo tirante C (e D) começou antes da evolução real das suspensões para que os pilotos tivessem uma efetiva pilotagem por ele. A prática desta técnica, como em muitos outros casos da história humana, levou à percepção de necessidade de evoluir o equipamento.

Os projetistas perceberam o problema gerado pelo tirante C atuando independente e diretamente na galeria C e começaram a desenvolver desenhos de suspensões em que a atuação no tirante C funcionasse integrada ao restante da suspensão.

O objetivo era gerar uma atuação mais efetiva e harmoniosa no aerofólio, entregando atuação de pilotagem e minimizando as deformações no velame. Algumas fábricas, como sempre acontece no mundo do consumo, começaram apenas colocando acessórios nos tirantes C, mas sem qualquer adequação de engenharia à suspensão.

Os primeiros e ainda mais presentes tirantes ajustados em seu desenho para uma integração com os tirantes B e A são simples e funcionam ajustando a balança de tensão pelos tirantes.

Observe na foto acima que o piloto pode atuar no tirante C, até um certo ponto, sem afetar a balança de tensão com o tirante B e A. A partir deste certo ponto, a atuação no tirante C começa a afetar o tirante B e, em alguns modelos, o A¹ também.

Uma coisa muito importante a dizer sobre a pilotagem pelo tirante C é que existe uma técnica a ser conhecida e respeitada: não se puxa o tirante C diretamente para baixo. O tirante é puxado para trás e para baixo, o que gera um ângulo de 45° de atuação (exatamente como na imagem acima).

Alguns fabricantes deram passos a mais na evolução das suspensões para uma pilotagem mais precisa pelo tirante C e creio que ainda veremos diversas evoluções no mercado até o final desta temporada de 2021.

Observem a suspensão na imagem ao lado. Vejam que existe uma conexão da parte intermediária superior do tirante C com um ponto de ancoragem móvel no tirante B e um ponto de ancoragem fixo na parte intermediária inferior do tirante A. Vejam que o ponto de partida da conexão no tirante C está exatamente na base do punho reservado para que o piloto segure e pilote pelo tirante C e que o formato de integração faz uma bela distribuição de carga pelos três tirantes quando o tirante C é atuado.

Nesta imagem ao lado uma demonstração de atuação no tirante C numa suspensão mais moderna já preparada para uma pilotagem mais precisa pelo tirante C. Percebam que a técnica de direção da atuação é a mesma, para trás e para baixo num ângulo de 45º.

Bem, creio que as imagens acima vão ajudar a compreender melhor o conceito de pilotagem pelo tirante C e também podem auxiliar no seu entendimento sobre o seu próprio parapente.


Bons e longos voos a todos.


CB

XC Selva.png

Aqui no

Compartilho novidades, informações e minhas aventuras pelo mundo do PARAPENTE.

FAÇA PARTE!

  • Twitter
  • Facebook ícone social
  • Instagram

© 2020 by goXCb

Criado por atletadeaventura

|

WANDERLEI G. S. JÚNIOR

006.906.286-25

GOV VALADARES-MG - BRA

|

|