PodCast XCb

Para todos vocês que curtem aproveitar algum momento do seu dia normal (sem voo) para degustar um pouco de informação sobre o voo livre e ir viajando mentalmente, ficando curioso sobre alguma nova possibilidade ou aprendendo uma nova técnica, convido para seguir e curtir o meu PodCast: Voo Livre em Parapente. Um material feito para você piloto.
São dicas, explicações, técnicas, histórias e muito mais sobre o parapente nas abordagens mais tradicionais, na abordagem do voo de distância (XC) e também na sua abordagem mais natural e inicial, o Hike and Fly (caminhada e voo).
O PodCast está disponível em todas as mais populares plataformas de players, inclusive no SpotiFy. Basta procurar por VOO LIVRE EM PARAPENTE e você encontrará o conteúdo.
Fique ligado nos episódios, curta e compartilhe com os amigos.

Ibituruna Hike nFly

Governador Valadares é conhecida mundialmente como a Capital Mundial do Voo Livre graças ao que o Pico da Ibituruna oferece de potencial térmico, desnível para o início do voo e o vento fraco típico da região que permite belos e longos voos de triangulação. Também se soma a isto a praticidade de se poder optar por pousar no centro da cidade, logística simplificada de retorno dos voos de distância e a estrutura da cidade que oferece todas as praticidades de uma cidade grande, além de uma vida noturna muito animada e diversificada. Porém, existe um outro universo na Ibituruna que pode ser explorado e que reserva encantos e descobertas incomparáveis: a caminhada de montanha ou hike
Tenho curtido bastante explorar e descobrir outros ângulos e belezas naturais da montanha da Ibituruna. A caminhada de montanha não é uma tradição no Brasil, mas é uma bela opção de prática esportiva outdoor e casa de maneira diferenciada com a abordagem Hike nFly do parapente.
Existem 4 rotas distintas para se percorrer belas estradas e se chegar ao topo da Ibituruna e cada uma delas possui suas praticidades, seus desafios e suas belezas naturais. Os amantes da caminhada e os recém adeptos ao Hike nFly podem incluir Governador Valadares em seu roteiro de aventuras e garanto que não irão se arrepender. Existem opções de subida 100% por estradas e existem opções que mesclam estradas e trilhas no mais puro estilo single track.
A altimetria acumulada mínima é de 1.000m e as distâncias dos trajetos variam de 7km a 23km, saindo da base oficial pela face norte ou do início da estrada pela face sul. O acesso pelo distrito de Derribadinha é o mais longo mas é o que possui maior suporte de água próximo à estrada com belas e volumosas quedas d'água seguindo boa parte do trajeto. O acesso pela trilha, em sigle track, da Embratel é o mais curto, mas o desgaste provocado pela inclinação logo no início da trilha, as erosões e as irregularidades constantes acabam tornando esse acesso um pouco mais desgastante para os menos condicionados. Existe também a opção de se mesclar trechos de acessos diferentes em alguns pontos e, para os que vão caminhar e voar, existem diversas áreas propícias para decolagens seguras tanto para apenas descer voando quanto para se iniciar belos voos de distância ou triangulação.
Tá esperando o quê? Organize-se e venha redescobrir o Pico da Ibituruna.

Nota de Segurança - Selete Supair EVO Lite

Senhores pilotos proprietários de seletes Supair modelo EVO Lite, a Supair emitiu uma nota de segurança informando que é possível ocorrer uma regulagem inadequada do assento da selete que pode levar a um encurtamento da fita principal de suporte do mosquetão, deixando a selete muito instável. Leia mais!

Senhores pilotos proprietários de seletes Supair modelo EVO Lite, após algumas reclamações de problemas com seletes EVO Lite, a Supair emitiu uma nota de segurança declarando que realmente há uma possibilidade de regulagem inadequada da fita de suporte da parte inferior traseira do assento (conforme foto) que pode deixar a fita principal de suporte do mosquetão, responsável pela estabilidade pendular lateral da selete, mais curta que a fita de regulagem do assento, deixando a selete extremamente instável.

XCB 2020 - Ranking Final

Foi um ano maluco, diferente e difícil mas, graças a Deus, nosso esporte nos leva a ambientes de baixa aglomeração, tipicamente ao ar livre e pudemos, ainda que com diversas restrições, voar bastante este ano.
Nosso mais profundo sentimento a todos aqueles que perderam parentes ou amigos na luta contra a Covid-19 e nosso máximo respeito a todos aqueles que lutaram e arriscaram suas próprias vidas para nos atender na área da saúde.
O XCB2020 terminou e o ranking está disponível para consulta no link da opção XCB 2020 aqui do site.

O ano 2020 acabou e fechamos a janela do Cross Country Brasil (XCB) 2020.
Foi um ano maluco, diferente e difícil mas, graças a Deus, nosso esporte nos leva a ambientes de baixa aglomeração, tipicamente ao ar livre e pudemos, ainda que com diversas restrições, voar bastante este ano.
Nosso mais profundo sentimento a todos aqueles que perderam parentes ou amigos na luta contra a Covid-19 e nosso máximo respeito a todos aqueles que lutaram e arriscaram suas próprias vidas para nos atender na área da saúde.
O XCB2020 terminou e o ranking está disponível para consulta no link da opção XCB 2020 aqui do site.
Nossos parabéns a todos que participaram e lançaram seus voos em nosso portal para compartilhar com a comunidade de pilotos. Muito obrigado!!!
E, como não podia deixar de ser, damos nossos parabéns ao grande vencedor CARLOS MIRANDA, que emplacou enormes voos no estado do Goiás e fechou com um total de quase 1.000 pontos.
Parabenizamos também nosso grande amigo e piloto paranaense REGI OLIVEIRA, que vem emplacando voos incríveis no sul do Brasil, e fechou na segunda posição.
E, por fim, parabenizamos o piloto goiano EVANDRO LUIZ PAULI que também mandou grandes voos no estado do Goiás e fechou na honrosa 3a posição.
A temporada 2021 está aberta e vamos que vamos. Precisamos ser vigilantes, estar atentos, respeitar as recomendações da área da saúde e cuidar do próximo. Vamos nos cuidar e tentar praticar nosso esporte com o máximo de segurança em solo e em voo.

Bons e longos voos a todos!

GV Temporada 2020/2021

O voo livre se prepara para o início da temporada mais esperada todos os anos, o verão em Governador Valadares. Enquanto a temporada não se inicia de fato, a pré-temporada está bem melhor do que poderíamos imaginar. Temos alguma condição de voo todos os dias e, nos últimos 14 dias, tivemos pelo menos uns 5 dias muito bons para o XC.
Ao que tudo indica teremos uma temporada de menos chuvas mas não tão seca como já tivemos em algumas épocas no passado. Isto é muito positivo pois podemos esperar as clássicas térmicas gigantes, intensas e dóceis de Valadares.
A cidade está se movimentando e parece que haverá um empenho maior em ter na cidade uma estrutura mais preocupada em atender bem durante toda a temporada de voo livre em Valadares e não somente uma competição ou outra. Eu acredito que este é o caminho, ter em Valadares uma estrutura voltada para toda a temporada de voo na cidade. Dar aos pilotos visitantes e locais uma condição mais estruturada para curtir o voo livre na cidade de janeiro a março.
Valadares nos oferece térmicas e voos memoráveis com um índice de segurança absurdo. Todo visitante que vem passar alguns dias voando em Valadares vem com expectativa de se divertir, fazer bons voos e raramente tem receios ou insegurança. Isto é um mega diferencial para a Capital Mundial do Voo Livre.
O complemento que podemos desejar é realmente um suporte mais desenvolvido da estrutura de rampa, opções e facilidade de acesso dos pilotos visitantes ao Pico da Ibituruna e uma estrutura complementar de entretenimento e recepção para pilotos, simpatizantes e expectadores no pouso oficial da cidade, a feira da paz.
Creio que temos tudo para mais uma temporada incrível em Valadares e, se alguns esforços locais aqui derem certo, certamente 2021 será marcado por um outro nível de profissionalismo ao redor do voo livre para o definitivo resgate do título de Capital Mundial de Voo Livre.

Tá esperando o quê? Se programe e venha conferir!!!

NOVA Resgata Lenda XENON?

A NOVA Paragliders parece que vai trazer de volta ao mercado a sua lenda dos anos 1990 XENON. Desta vez uma vela 2 linhas (EN D) super leve para a modalidade de voo hike and fly e bivouac. O objetivo é ter uma vela top performance na categoria, referência em baixo peso e com pilotabilidade e precisão que sempre foram a marca registrada da NOVA em velas de alta performance. A NOVA também está trabalhando numa selete carenada moderna super leve que tem a missão de ser a nova referência em conceito e baixo peso. Vamos acompanhar!

O mundo do parapente foi brindado nos anos 1995 pelo projeto XENON, um parapente de competição da NOVA Paragliders que quebrou paradigmas e revolucionou os projetos de parapentes de alta performance. Agora, com seu piloto acro Théo de Blic inscrito no XAlps, a equipe NOVA está finalizando um novo parapente 2 linhas (EN D) super leve e também uma selete moderna ultra leve para formar novamente um conjunto campeão para essa super corrida de aventura.
O nome do parapente e da selete ainda não é oficial, o design gráfico do parapente não está definido, a selete ainda está em testes de materiais e tecnologias. O que a NOVA garantiu é que não vai abrir mão do objetivo super elevado para entregar ao mercado um parapente de performance superior, pilotabilidade precisa e sólida, peso leve referência no mercado e com materiais duráveis para que seja um produto de série a partir de 2021. Um desafio mais ousado está no projeto da selete, pois eles desejam entregar a selete carenada moderna mais leve do mercado para a modalidade de voo hike and fly e bivouac.
A escolha pelo parapente para a classe D, ao invés de CCC, é que as velas D entregam performance muito alta mas com limites de design que permitem pilotabilidade mais extrema e mais precisa em cenários mais complexos como voo baixo e pouso em topos de montanhas.

1a Competição GV 2021

E a ansiedade de diversos pilotos deste nosso Brasil, à espera de uma grande competição num pico top, foi levemente aliviada neste final de semana de um carnaval diferente em Governador Valadares-MG, no majestoso Pico da Ibituruna. A cidade, através da prefeitura e clubes locais, promoveu um grande evento que, inclusive, foi válido para o ranking de campeonatos de outros estados, além do de Minas Gerais.
O nível dos pilotos presentes chamou a atenção. Ficou muito evidente que a turma estava louca para achar uma razão (ou desculpa) para viajar e voltar a correr pelos céus deste nosso Brasil e se divertir com os amigos do circuito com os pés no chão também. Mesmo com a previsão meteorológica não sendo das melhores, a turma sabe que Valadares surpreende e seu microclima sempre tende a criar surpresas agradáveis mesmo num cenário pessimista.
Eu não curto mais competições, me aposentei delas ao final de 2012 - depois de 16 anos competindo aqui, ali, acolá e além, mas acho muito legal ver a motivação da turma e o show de cores e técnicas. Uns querem aproveitar a logística do evento, outros querem curtir o voo em grupo, uma parte quer estar no meio e curtir a vibe do evento, outro tanto quer evoluir se comparando no campo de provas real e uma parcela está ali para brigar pelas primeiras colocações e buscar ranking para se classificar para competições internacionais.
Pelo que pude observar, uns 80% dos melhores pilotos do Brasil estavam presentes na competição e praticamente todos os melhores parapentes do mercado deixaram seus rastros nos céus de Valadares em 2 bons dias de provas (o 3o foi cancelado por falta de condição térmica para uma prova).
A comissão de prova, fazendo uma análise de fora, me parece ter sido muito feliz na definição das provas em ambos os dias. Foram duas provas de triangulação em tamanhos e rotas compatíveis com as possibilidades de cada dia e isso possibilitou dois dias de Goal bastante visitado pelos competidores. O sorriso no rosto dos pilotos, a conversa alta e descontraída entre todos e a boa energia que circulava no QG sinalizava que o evento estava entregando a todos as emoções e alegrias que esperavam.
A cidade também não deixou por menos. Os moradores locais deram uma mostra clara de que também estavam com saudades dos eventos de voo livre na capital mundial do voo livre. O público marcou presença pesada no sábado e simplesmente lotou o Pico da Ibituruna no domingo... que emocionante testemunhar esse reencontro.
Não tive nenhuma recaída, continuo apaixonado pelas outras possibilidades do parapente, mas não posso negar que foi bonito o espetáculo proporcionado pela união entre a organização, clubes locais, prefeitura municipal, voluntários, patrocinadores, pilotos competidores, pilotos free fly, pilotos locais, moradores simpatizantes, rede de bares e restaurantes e hotéis.
Se você não conseguiu se organizar para vir a Valadares nesta temporada 2021 ainda, fique ligado e se programe pois ainda temos mais 2 meses de altos voos esperando por todos vocês aqui.

Vem pra cá!

Temporada Valadares 2021

A temporada Valadares 2021 começou e, sem dúvida, de uma forma diferente de anos anteriores. Graças a um grupo de pilotos entusiasmados, à colaboração das associações de voo livre local e a empresários com a visão de incentivo ao esporte em Governador Valadares, este ano durante TODA A TEMPORADA DE VOO - JAN FEV MAR, o Pico da Ibituruna e a Feira da Paz contarão com uma melhor estrutura para recebimento de pilotos e visitantes.

A temporada Valadares 2021 começou e, sem dúvida, de uma forma diferente de anos anteriores. Graças a um grupo de pilotos entusiasmados, à colaboração das associações de voo livre local e a empresários com a visão de incentivo ao esporte em Governador Valadares, este ano durante TODA A TEMPORADA DE VOO - JAN FEV MAR, o Pico da Ibituruna contará com uma estrutura de sombra de 100m2 para acolher todos os pilotos e simpatizantes turistas que passarem pela Ibituruna para momentos de lazer e também para a prática do voo livre. Da mesma forma, o pouso oficial de Valadares, a Feira da Paz, durante TODA A TEMPORADA DE VOO contará com outra estrutura de sombra de 100m2 e, adicionalmente, 2 banheiros químicos para um melhor suporte aos pilotos que utilizarem aquela área e também para acollher visitantes em seus momentos de lazer por ali. Esta conquista enseja os parabéns a todos os envolvidos e destaco aqui em meu site os patrocinadores: HOTEL PANORAMA CENTER, REDE HG COMBUSTÍVEIS e BIGMAIS SUPERMERCADOS.
Venha curtir uns dias de voo com o melhor que Valadares pode lhe oferecer nesta temporada 2021.
Bons e longos voos a todos!

Liga Parapente XC - Valadares 2021

Esse ano, visando incentivar mais voos longos em Valadares na temporada de verão, criamos uma liga para a registro e acompanhamento de desempenho dos melhores pilotos e seus voos. Basta se registrar no portal SpedMo.com e lançar seus voos diariamente. É grátis! Participe, faça o seu melhor e vá além. / This year we decided to put a little bit more emotion to Valadares Summer Season and created a league to follow the best pilots performance and their flights. It´s enough to register in SpedMo.com portal and upload your flights daily. It´s for free! Be part, do your best and go further.

A temporada de voo agora no verão desperta todo o Brasil para Governador Valadares-MG. O Pico da Ibituruna é a meca do parapente mundial durante o verão todos os anos, tanto pelas condições confortáveis e divertidas de voo quanto pela oportunidade de reencontro de amigos de diversas partes do país e do mundo nesse mega playground do voo livre. Valadares sempre proporciona experiências épicas e deixa lembranças memoráveis a todos que passam algum período voando a temporada de verão na Ibituruna. Este ano, pensando em animar ainda mais a temporada, criei a liga XC Valadares em nosso portal SpedMo.com para estimular os pilotos a irem além e ter um ranking de referência para uma motivação mútua de superação. Sem falar daquele veneninho que ativa nossa adrenalina e nos atiça a fazer mais e mais quando estamos com uma competição, ainda que informal, rolando. Participe você também. Basta acessar o portal SpedMo.com, se registrar (é grátis) e depois, na opção VOO -> CLUBES, selecionar a lista "437M+9V Village da Serra, Governador Valadares - MG, Brazil", acessar o clube GOVERNADOR VALADARES, MG - PICO DA IBITURUNA e, no canto direito superior, clicar na opção para fazer parte do clube (é obrigatório participar deste clube). Depois, é só carregar seus voos a cada dia e ir fazendo o seu melhor para ficar bem classificado.
(ENG)
To have more fun and best (longer) flights, this year we decided to have the league for Valadares 2021 XC flight season. Just register in SpedMo.com (it´s for free), go to meny FLY -> CLUBS, open the list "437M+9V Village da Serra, Governador Valadares - MG, Brazil" and choose the club GOVERNADOR VALADARES, MG - PICO DA IBITURUNA. Once there, clic on the button at the right + up side to be part of this club (mandatory to select this club). After that, just upload you flights every day and do your best to figure between the tops.

DETALHES/DETAILS:
(BRA)
Temporada de verão em Governador Valadares-MG, Pico da Ibituruna: 01/01/2021 A 31/03/2021
Exclusiva para parapentes (solo ou duplo), sem motor e decolando a partir do Pico da Ibituruna.
Aberto a todos pilotos do mundo e sem categoria de parapentes.
Todo voo lançado no portal está participando automaticamente, desde que não haja infrações ou contestações comprovadas por terceiros reconhecidos.
Piloto tem até 7 dias para lançar o voo (depois disso o ranking não aceita mais)
Serão computados os 5 melhores voos de cada piloto.
(ENG)
Summer season in Governador Valadares-MG, Ibituruna Peak: Jan 1, 2021 to Mar 31, 2021.
Only for paragliders (solo or tandem), no PPG and taking off from Ibituruna Peak.
Open to all pilots (world wide) with no paragliders classes.
Any flight uploaded on the portal is valid for the ranking, since it´s clear of infractions or proved contestation by recongnized third part.
Pilot have 7 days to upload the flight (it is out of the ranking after that).
Ranking computes only the best 5 flights for each pilot.

Ônibus para o Pico da Ibituruna

Graças ao esforço de nosso grande amigo e piloto local Godó e ao total apoio que estamos tendo da secretaria de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo de Governador Valadares, a linha do centro da cidade para o Pico da Ibituruna está de volta a partir deste dia 1o de Janeiro de 2021.
Os ônibus circularão nos 2 horários de sempre, por enquanto, de sexta a domingo.
Um pedido que fazemos a todos os pilotos e simpatizantes é que USEM A MÁSCARA E TENTEM MANTER DISTANCIAMENTO DE SEGURANÇA NO PONTO, DENTRO DO ÔNIBUS E TAMBÉM NA RAMPA. Vamos dar o exemplo e agir conforme o momento exige para não perdermos novamente este maravilhoso recurso.
Contamos com todos vocês.
Partiu Ibituruna!!!

Lições de um Acidente

Todo acidente nos deixa lições para reflexão, mudança de atitude e prevenção de novas ocorrências. O acidente do piloto Kiwi Johnston, ocorrido em Agosto - Nevada, EUA, deixou diversas lições para que possamos planejar melhor nossos voos de distância e também minimizar as chances de acidentes no uso de parapentes após revisões e trocas de linhas.

Todo acidente nos deixa lições para reflexão, mudança de atitude e prevenção de novas ocorrências. O acidente do piloto Kiwi Johnston, ocorrido em Agosto - Nevada, EUA, deixou algumas lições para que possamos planejar melhor nossos voos de distância e também minimizar as chances de acidentes no uso de parapentes após revisões e trocas de linhas.
A PRIMEIRA LIÇÃO ficou bem clara logo nos dias iniciais pós voo em que se suspeitou da ocorrência de um acidente, o piloto sumiu e não foi possível localizá-lo pelo track de seu rastreador. A localização do corpo do piloto, que infelizmente confirmou o acidente fatal, demandou muito esforço de busca e muito dinheiro para custear a coisa toda. Então, como evitar todo esse cenário quando se vai voar atualmente? Hoje temos diversas soluções que podem ajudar tanto um procedimento de resgate trivial, em que nosso motorista nos encontra com facilidade e nos leva de volta para casa em segurança, quanto num procedimento de busca e localização em caso de eventual desaparecimento. Temos opções que vão desde aplicativos para uso no celular, apoiados por redes de telefonia celular e o sinal GPS do aparelho, até dispositivos rastreadores via satélite que permitem rastreamento pela internet ou aplicativo especializado. Se pensarmos com frieza e observarmos o custo da prática de nosso esporte, desde a aquisição do equipamento de voo, até mesmo o custo proporcional de um dispositivo de rastreamento via satélite, que não está exposto às áreas de não cobertura de sinal celular, é muito baixo. Nossa vida vale muito mais. Acho que é apenas uma questão cultural. Devemos lembrar que não cabe aqui o comparativo com o passado, quando não era tradicional sairmos para voar numa cidade, dentro de um estado, e ao final do dia pousarmos noutra cidade de um estado diferente, voando regularmente acima de 150km. As chances de um acidente com desaparecimento são enormes. Nós voamos por ai e basta observar o relevo para saber que mais de 80% do tempo estamos sobrevoando lugares com altíssima chance de não sermos facilmente encontrados. Recomenda-se sempre usar um app de compartilhamento de posição com amigos ou um dispositivo de rastreamento via satélite e sempre avisar alguém a rota que se pretende voar (se for voar sozinho ou sem motorista de resgate).
A SEGUNDA LIÇÃO, como descrita em texto no site da revista XCMag, trata de detalhes sobre os quais devemos estar sempre atentos quando consideramos o tamanho de nosso parapente e também após a revisão ou troca de linhas do mesmo. Não se deve, jamais, desrespeitar o range de peso da vela. Nem para abaixo do peso mínimo e, muito menos, para acima do peso máximo. O peso máximo é considerado para todos os testes de resistência de materiais e, quando você decola acima deste limite, você está descoberto pelo processo de certificação do seu parapente. Quanto à revisão, é preciso ter total consciência de que, após pegar sua vela de uma revisão, seu comportamento normalmente estará diferente do que o que você estava experimentando por último nela. Isto se torna mais crítico se a sua vela foi retrimada ou teve linhas trocadas. Sempre faça um voo de teste e readaptação em condição suave e previsível. Recomenda-se também conferir todas as ancoragens da vela para garantir que as linhas estão fazendo o loop e travando na ancoragem e não na própria linha, tipo laço. SEMPRE QUE A LINHA ESTIVER TRAVANDO NA PRÓPRIA LINHA NUMA ANCORAGEM, ALERTA. A RESISTÊNCIA DA LINHA É DRASTICAMENTE REDUZIDA EM CASOS DE LAÇOS OU NÓS DA LINHA NA PRÓPRIA LINHA. A linha deve ter seu loop (volta de trava) feito no tecido da ancoragem e jamais na própria linha.
A TERCEIRA LIÇÃO trata dos cuidados que devemos ter para lidar com alguns tipos de colapsos que, de uma forma ou de outra, se agravam de maneira a nos deixar totalmente sem controle e com risco de desmaio e consequente incapacidade de reação e recuperação. Em qualquer tipo de colapso que percebamos o risco de entrada em giro com alta aceleração, devemos de forma muito rápida decidir entre uma atuação mais agressiva e ajustada ou o uso do reserva. O reserva foi feito para usar. Não por qualquer coisa, mas melhor usar sem necessidade do que não usar quando necessário. Como na recomendação que temos para as ultrapassagens nas rodovias, EM CASO DE DÚVIDA DURANTE UM COLAPSO AGRESSIVO, USE O RESERVA. Quando entramos em giro, a aceleração provoca o aumento da força G sobre nosso corpo, o que pode ocasionar dificuldade de fluidez de sangue para nosso cérebro e consequente desmaio e também faz com que nossos braços demandem muita força para serem movimentados, pois a força centrífuga do giro prende nossos braços ao lado do eixo de nosso corpo no sentido para fora do giro. Por isso é preciso decidir rápido e agir, seja para uma atuação mais agressiva e ajustada ou para o lançamento do reserva.
Bem, infelizmente um piloto morreu. Mas as lições tiradas de seu acidente podem ajudar a evitar muitos outros.
Fiquem atentos!!!

Quão Rápido Você Enrosca?

O francês Martin Morlet, além de piloto, é um entusiasta de tecnologias e desenvolveu um aplicativo para smartphones que ajuda a fazer uma análise pós voo detalhada com base no tracklog salvo. O aplicativo faz diversos tipos de análises e seu principal objetivo é permitir ao piloto identificar pontos onde desperdiçou potencial para um voo mais rápido e mais longo.

Piloto e também entusiasta de tecnologias, o francês Martin Morlet desenvolveu um aplicativo para que os pilotos possam fazer uma análise detalhada de seus voos com base nos tracklogs gravados. O gráfico anexo neste texto demonstra, de uma amostragem de mais de 100.000 tracklogs, o tempo médio que os pilotos demoram para fazer uma curva completa quando estão enroscando.
Observem que a maioria dos pilotos consome entre 21 segundos a 26 segundos para fazer uma volta completa. Mas essa variável, por si só, é meio complexa para se analisar, uma vez que quanto mais forte a térmica mais fechado posso enroscar e quanto mais fraca a térmica mais aberta e dócil tende a ser a curva. Uma térmica turbulenta também faz com que o giro seja mais demorado e irregular.
De qualquer forma, o aplicativo XC Analytics não se resume somente a isso. O aplicativo permite uma avaliação de diversos fatores críticos para um bom voo de distância e dá ao piloto uma grande variedade de leitura dos dados para interpretar e entender melhor os pontos onde perdeu potencial para um melhor resultado final.

XC Selva.png

Aqui no

Compartilho novidades, informações e minhas aventuras pelo mundo do PARAPENTE.

FAÇA PARTE!

  • Twitter
  • Facebook ícone social
  • Instagram

© 2020 by goXCb

Criado por atletadeaventura

|

WANDERLEI G. S. JÚNIOR

006.906.286-25

GOV VALADARES-MG - BRA

|

|